Ultraprocessados elevam risco de doenças do coração

Edição: 713 Publicado por: Carolina Fonseca em 09/09/2020 as 08:05

 
Leitura sugerida

Durante todo o mês corrente é feita a campanha Setembro Vermelho, para a conscientização, prevenção e tratamento das doenças do coração. Segundo o Hospital Sírio e Libanês, 80% das doenças cardíacas podem ser evitadas com apenas quatro atitudes saudáveis: não fumar, praticar atividade física, ter uma dieta equilibrada e evitar o consumo de álcool.

Conhecer a classificação dos alimentos por grau de processamento é essencial para pensar numa dieta equilibrada. Esta classificação é resultado de estudos do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da USP (Nupens). Os alimentos estão classificados como in natura, minimamente processados, processados e ultraprocessados.

O estudo liderado pelo professor Carlos Monteiro consta do Guia Alimentar para a População Brasileira – publicado pelo Ministério da Saúde (2014) – que, com linguagem descomplicada, esclarece sobre os diferentes tipos de alimentos, suas consequências para a saúde e para o meio ambiente. Monteiro é referência mundial sobre alimentação saudável e boa nutrição. ultraprocessados-amanda70-copy.jpg Foto: Olhar Saudável | Amanda Anjos

Conhecidos como “falsa comida”, os grandes vilões da saúde são os ultraprocessados, que recebem tantos aditivos que viram imitações de alimentos. Os alimentos in natura (encontrados na natureza e consumidos sem sofrer alterações) e os minimamente processados são considerados ideais para a base de uma boa dieta alimentar.

Produtos como arroz, feijão, leite e carne passam por processos de secagem, embalagem, pasteurização, resfriamento ou congelamento e, por isso, são considerados minimamente processados. No processamento mínimo de alimentos não há uso de sal, açúcar, óleos, gorduras e outras substâncias. São processos para aumentar a durabilidade.

Biscoitos de pacote, bebidas açucaradas, macarrões instantâneos, pão branco, batata chips e sopas em pó são exemplos de alimentos ultraprocessados. Durante o processamento destes alimentos são utilizadas diversas substâncias artificiais como conservantes, corantes, emulsificantes, aromatizantes, flavorizantes, estabilizantes... Falsa comida.

O elevado consumo dos ultraprocessados está associado a diversas doenças como o descontrole alimentar, obesidade, câncer, diabetes, hipertensão, depressão e doenças cardiovasculares. A prevenção é o caminho mais rápido e seguro. Adotar uma alimentação mais saudável é um passo importantíssimo que começa logo ali, na sua cozinha.

 

Você Sabia???

O açafrão-da-terra ou cúrcuma é anti-inflamatório, anti-oxidante e anti-envelhecimento. Auxilia na digestão, reduz gases. Aumenta a imunidade. É melhor absorvido se usado com pimenta do reino.

Deixar as lentilhas de molho por 8h elimina os ‘antinutrientes’ naturais do alimento, como fitatos e oxalatos, que diminuem a absorção dos nutrientes dos alimentos no organismo.

 

 

img-1-33-4669.jpg

Arroz de Lentilhas com Açafrão e Cebolas caramelizadas

Ingredientes:

- 1 xícara de arroz integral

- 3 xícaras de água

- 1 xícara de lentilhas

- 1 colher de sopa de vinagre

- 1 folha de louro

- 2 xícaras de água

- ½ colher de chá de açafrão-da-terra

- 2 cebolas cortadas em tirinhas (corte Julienne)

- 3 colheres de sopa de azeite

- Sal e Pimenta-do-reino a gosto

 

Modo de Preparo:

Coloque as lentilhas de molho cobertas com água e 1 colher de sopa de vinagre por 8 horas.

Lave o arroz e escorra. Coloque numa panela para cozinhar com 3 xícaras de água, ½ colher de chá de açafrão e sal.

Após o período de 8 horas, descarte a água e cozinhe as lentilhas com a folha de louro, as 2 xícaras de água e o sal até ficar “al dente”.

Misture as lentilhas cozidas ao arroz.

Em uma frigideira, doure a cebola e acrescente ao arroz com as lentilhas e coloque pimenta-do-reino a gosto.

Galeria de imagens

0 comentários

avatar
Escreva seu comentário...
Seu nome...
Seu email...